Da Dor

•fevereiro 18, 2013 • Deixe um comentário

As memórias amargas não podem nos aprisionar. Elas fazem parte da vida – como o sorriso, o por do sol, o instante de oração.
Curioso é que esquecemos rápido nossas alegrias, embora sempre façamos com que o sofrimento dure mais do que o necessário. A dor é uma ótima desculpa para problemas que não conseguimos resolver, passos que não tivemos coragem de dar, decisões que adiamos.
A dor faz parte da vida – como faz parte a alegria, a fome, e a vontade de sonhar. Não adianta fugir, porque ela termina nos encontrando. Mas sua única função é nos ensinar algo. Aprendemos suas lições, e isso basta.
Toquemos para frente. Não vamos nos castigar com memórias amargas. Não vamos sofrer duas vezes, quando podemos sofrer apenas uma

seg, 18/02/13por Paulo Coelho Coluna G1

Campo Minado

•fevereiro 14, 2013 • Deixe um comentário

Nosso pior inimigo somos nós mesmos
Esse gênio mau que muitas vezes aflora
E toma conta das nossas palavras e ações
Nos fazendo magoar muitas vezes quem mais amamos.

Palavras não são palpáveis, mas tem o poder de ferir
As vezes muito mais do que um objeto pontiagudo…
Elas entram em nós e ficam ressoando como o som de uma explosão
E o pior é quando são ditas com raiva e não com o coração.

Mesmo não sendo verdadeiras, machucam e agridem pra valer
Queria entender porque não entendemos de uma vez por todas
Que agora não precisamos mais sofrer
Que agora, tudo passou e que não há motivo para não ser feliz.
Que agora os problemas só estão na própria cabeça
E que não é mais necessário vestir a armadura
E estocar munição até os dentes para uma guerra que não existe.

Porque quando a gente insiste em lutar numa guerra inexistente
Acabamos tão machucados quanto nosso “inimigo”
Não há vencedores, não há vencidos, apenas pessoas sofrendo sem necessidade.

E muitas vezes no campo de batalha nos vemos repetindo velhos erros,
Erros que muitas vezes nem foram nossos e que deveríamos ter anotado
Como estratégia furada de vencer qualquer guerra.

Infelizmente, a granada foi lançada…
E agora estou perdida entre fumaça e fogo, tentando juntar os pedaços
Do meu próprio corpo despedaçado.
Tentando atingir, fui atingida pelos estilhaços de minha própria bomba

E no campo de batalha, vencida, cansada e triste
Espero encontrar novamente o calor do sorriso sem o qual meus dias são tristes
Espero encontrar novamente o calor do abraço que me acalenta a alma e o coração
Espero encontrar o aconchego que andei esmagando com palavras bruscas

A bomba foi lançada. Não posso voltar atrás.
Mas posso tentar plantar flores nesse campo de batalha a partir de agora
E tentar transformá-lo em um jardim. Ainda há tempo. Eu tenho fé.
Esquecer velhas coisas que no contexto atual ficaram tão sem importância

Explodir velhas magoas, velhos ressentimentos e velhos paradigmas
Pois acho que finalmente abri meus ouvidos para escutar tudo o que sempre me disse
Mas que só agora fazem sentido concreto.

Se não houver a semente que me impulsiona a regar
Se não houver a semente que dará origem a flor
De que vale o Jardim? Só haverá uma terra seca
Cercada com ramos podres e secos de tristeza e solidão

Que o sol possa voltar a invadir meu ex-campo de batalha
E possa torná-lo novamente um jardim, duradouro,
De arvores centenárias e frutíferas onde possa reinar o amor…

Mutação

•janeiro 29, 2013 • Deixe um comentário

1º post do ano e usarei um texto que não é meu… mas que me tocou muito…
As vezes outra pessoa consegue traduzir em palavras certos gostos amargos que não conseguimos adocicar…

Mutação
“As coisas sempre foram assim e vão continuar sendo”
O mal do ser humano é negar que mudar é necessário.
Tudo no mundo está em plena mutação.
Eu estou procurando sempre mudar e pra melhor
Muitas vezes passo por cima do meu orgulho,
Das minhas vontades e mesmo quando não consigo, tento.
Não adianta você tentar fechar os olhos e não querer enxergar
As coisas mudaram.
E não digo que seja pra melhor ou pior
Elas apenas mudaram.
Não precisa gostar de mim. Peço apenas que me respeite.
E não me envolva no seu comodismo de querer viver a vida alheia
De sentir prazer na competição, de se sentir dono das pessoas.Porque você não é…
Você já faria um grande favor ao mundo se vivesse sua própria vida!
E olha que você tem muita coisa pra fazer por ela!
É só você olhar no espelho e enxergar sua alma…

Miguel Sintofin

Queria ser como um cão

•dezembro 7, 2012 • 2 Comentários

Eu admiro os cães…
Eles tem essa capacidade enorme de perdoar dentro do coração…
Pode reparar, brigamos com eles, repreendemos
E cinco minutos depois se chamamos eles vem para o nosso colo
Eles tem essa capacidade enorme de colocar o que você representa pra ele
Acima de qualquer coisa…
Um cão, vai se lembrar de quando você jogou aquela bolinha, de quando deu carinho,
Amor, afeto e beijos, de quando lhe serviu aquela comida gostosa, o acolheu, lhe deu beber…
As vezes gostaria de ser como um cão… e lembrar apenas as coisas boas que as pessoas me fazem.
Mas é muito difícil não acumular mágoas, não guardar lembranças ruins…
Principalmente quando elas acabam superando as coisas boas.
Sabe, acho que até por um tempo eu fui um pouco assim, um pouco com coração de cão…
Acho que era em uma época em eu acreditava que as pessoas poderiam mudar e que talvez aquilo fosse apenas uma fase
Ou que fosse algum momento ruim da pessoa…
E ficava ali, sempre quieta, sempre sorrindo, sempre tentando agradar…
Achando que a culpa pelos problemas alheios era minha…
Mas hoje acho que perdi essa capacidade de acreditar que todas as pessoas são boas…
Cansei de falta de educação, de exclusão e de tratamentos infantis que as pessoas tem…
Cansei de levar desaforo pra casa, de ouvir quieta, de fingir que não vejo…
Cansei de me anular, de passar a borracha, de tentar de novo…
Para mim basta… a partir de hoje, procuro a companhia de quem me faz bem,
De quem me recebe bem e faz questão da minha presença, que não me trata como “ninguém”
De quem conversa comigo, de quem realmente se interessa pela minha vida e torce por mim
Chega de tentar agradar quem não merece, quem me trata mal e é mau educado.
Vou gostar de quem gosta de mim e parar de me deitar no chão para que as pessoas me pisem.
E quem sentir pela minha ausência, que me procure, pois para algumas pessoas estarei “off line”

Sábias palavras de uma amiga!

•outubro 23, 2012 • 1 Comentário

Agora a gente não precisa mais sofrer.
Acabou, somos livres!
Livres das noites de insônia e medo.
Livres dos gritos, de ficar escondida para não entrar na briga.
Livres do medo de voltar pra casa!
Livres para pisar firme no chão sem andar na ponta dos pés, com medo de acordar o leão.
Hoje podemos puxar o rabo dele!
E até cutucar a onça com vara curta, pq depois voltamos para a NOSSA casa e ela ali não entra!
Vamos registrar em nós o amor que as pessoas nos dão, do jeito que eles sabem fazer.
Não há motivos que prendam elas a nós, exceto o amor!
Comodidade seria? Impossível, não temos dinheiro pra bancar ninguém!
É AMOR!
Vamos ser livres!
“Deixa a vida me levar…”

Autora: Cristina Zordan Fraracio

E não é que a mais pura verdade? Eu sou livre!!!!

Mosaico

•outubro 22, 2012 • Deixe um comentário

Juntando os cacos de minha história e sentimentos quebrados
Faço um mosaico.
Tento encaixar as peças, para obter um efeito colorido e feliz
Tento juntar as peças de modo a entender o que sou e o que posso ser
Tento juntar as peças de modo a me sentir mais normal
Mas as vezes com a cabeça quente e o coração triste
Estrago parte do Mosaico
Ainda bem que tenho um artista plástico amigo meu
Que com toda a paciência do mundo descola as peças erradas
E monta tudo de novo no lugar certo
Esse artista plástico trouxe peças muito importantes para o meu mosaico
A fim de completar as lacunas, de preencher os espaços vazios e me fazer feliz
As vezes acho que essas peças não estão encaixando direito
Mas meu artista plástico é paciente e me mostra que elas estão onde deveriam
As vezes quando o sol derrete a cola das peças
É que conseguimos enxergar como elas nos fazem falta
E eu agradeço pela peça mais linda que esse artista colocou na minha vida
Apesar de as vezes eu nem perceber que ela está ali
E passar por cima dela sem me dar conta que estou riscando sua superfície
Mas o artista com toda a paciência do mundo
Me trás um paninho encharcado de perdão e amor e polindo bem consigo retirar os riscos.
Esse artista plástico é Deus
Obrigada por ser meu artista plástico particular Senhor!

E de novo o Buraco Negro

•outubro 19, 2012 • Deixe um comentário

O que devia ser considerado qualidade
É considerado defeito
Tem coisas nessa vida que mais do que chateada
Me deixam extremamente triste
E aí surge toda aquela sensação de vazio,
E o tal buraco negro vai crescendo dentro de mim
Dá aquela vontade de sumir do mundo
E deixar todas as pessoas com suas verdades absolutas
Eu nunca tive medo de assumir meus erros
Mas somente quando eu estou errada de verdade.